A partir desta quarta-feira, 12/1, o acesso ao Banco Nacional de Monitoramento de Prisões (BNMP) exigirá duas checagens para confirmação da autenticidade do usuário. O sistema foi desenvolvido e é mantido pelo Conselho Nacional de Justiça (CNJ) e a mudança, chamada de Duplo Fator de Autenticação, foi introduzida como medida adicional de segurança.

Criado para monitorar o sistema carcerário brasileiro, o BNMP é utilizado pela magistratura e servidores do Judiciário que atuam em juízos criminais. Com a adoção do Duplo Fator de Autenticação, quando o usuário acessar o sistema em um novo computador, dispositivo ou rede, além de inserir a senha padrão deverá digitar um código de seis números, que será enviado para o e-mail funcional ou para o celular do consultante.

*Fonte: TRF2