Generic selectors
Exact matches only
Search in title
Search in content
Post Type Selectors
Search in posts
Search in pages
ajde_events
gravityview
Generic selectors
Exact matches only
Search in title
Search in content
Post Type Selectors
Search in posts
Search in pages
ajde_events
gravityview
AbreLoginRede
Edição - Abril 2023
Justiça Federal
Digital

STJ conclui fase de interrogatórios em ação penal que apura corrupção no Judiciário do Espírito Santo*

publicado: 28/04/23 - 17:04 | última modificação: 02/05/23 - 13:10h

Justiça 2

O Superior Tribunal de Justiça (STJ) encerra, nesta sexta-feira (28), a fase de interrogatórios da Ação Penal 623, que apura a suposta participação de 15 réus, entre magistrados e servidores do Tribunal de Justiça do Espírito Santo (TJES), em um esquema de corrupção.

Decorrente da Operação Naufrágio, deflagrada em dezembro de 2008 para investigar suspeitas de venda de decisões judiciais no TJES, a denúncia apresentada pelo Ministério Público Federal (MPF) foi recebida pela Corte Especial do STJ em dezembro de 2021, ocasião em que o desembargador Robson Albanez foi afastado do exercício da função até o fim do processo. Uma liminar concedida pelo ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Gilmar Mendes, em 17/4/23, autorizou seu retorno ao trabalho.

Inicialmente, em dezembro de 2010, o MPF denunciou 26 pessoas, entre magistrados e servidores do TJES; um membro do Ministério Público estadual; advogados e alguns de seus clientes. A denúncia teve por base o Inquérito 589/DF do STJ, que culminou na Operação Naufrágio.

As investigações apuraram indícios da prática de crimes por autoridades do Poder Judiciário do Espírito Santo, descobertos em outra investigação, batizada de Operação Titanic.

Julgamento ainda não tem data prevista

As audiências para ouvir as cerca de 70 testemunhas arroladas e interrogar os 15 réus aconteceram na sede da Justiça Federal do Espírito Santo, em Vitória, durante oito dias, nos meses de fevereiro a abril deste ano. Os trabalhos foram conduzidos por delegação do juiz instrutor do gabinete do ministro Francisco Falcão, o juiz federal Leandro Cadenas Prado.

Encerrada a instrução, foi deferido prazo para manifestação escrita, nos termos do artigo 402 do Código de Processo Penal (CPP). Após essas diligências, começam os prazos para alegações finais. Ainda não há previsão de quando a ação penal poderá ser levada a julgamento na Corte Especial.

Esta notícia refere-se ao(s) processo(s): APn 623

 

Diretor e vice-diretor do foro da JFES visitam a OAB/ES

publicado: 27/04/23 - 18:59 | última modificação: 08/05/23 - 17:08h

Lauro Coimbra, José Carlos Risk Filho, Rogerio Alves e Américo Bedê

Os novos diretor e o vice-diretor do foro da Justiça Federal do Espírito Santo (JFES), juízes federais Rogerio Moreira Alves e Américo Bedê Freire Junior, respectivamente, visitaram na tarde de 27 de abril a sede da Ordem dos Advogados do Brasil – Seccional Espírito Santo (OAB/ES), no Centro de Vitória.

Os magistrados foram recebidos pelo presidente da Seccional, José Carlos Rizk Filho.

Também participou do encontro o advogado Lauro Coimbra, membro efetivo do Tribunal Regional Eleitoral (TRE-ES) pela classe dos juristas.

“A OAB é o primeiro palco que escolhemos para fazer essa visita, justamente com o propósito de simbolizar o respeito que a Justiça Federal do Espírito Santo tem pelos advogados e a importância que damos à interação institucional”, ressaltou o diretor do foro da JFES.

Diálogo

Para Rogerio Alves, a interação entre as organizações depende “do franco e sereno diálogo”, que só pode acontecer se as portas das instituições estiverem abertas. “Estamos aqui, simbolicamente, para demonstrar o nosso compromisso de abrir as portas da Justiça Federal, para que o diálogo sempre se desenvolva de forma harmônica e serena”, afirmou.

O vice-diretor, Américo Bedê, enfatizou que a OAB é “indispensável para a Justiça” e destacou a simbiose entre as duas instituições. “Quando a OAB e a Justiça Federal trabalham em parceria, as duas ganham”, reforçou o magistrado.

Fotos e informações: Assessoria de Imprensa da OAB/ES

Justiça Federal do Espírito Santo determina multa e suspensão temporária das atividades do Telegram no Brasil

publicado: 26/04/23 - 17:54 | última modificação: 04/05/23 - 14:59h

Telegram

A Justiça Federal do Espírito Santo determinou, nesta tarde, o aumento da multa diária de R$ 100 mil para R$ 1 milhão e a suspensão temporária das atividades do aplicativo de mensagens Telegram no Brasil.

A decisão, da Vara Federal de Linhares, considerou que o Telegram, que havia sido intimado para fornecer os dados “de todos os usuários” do canal “Movimento Anti-Semita Brasileiro” e do chat “(suástica) Frente Anti-Semita (suástica)”, principalmente do(s) seu(s) administrador(es), não cumpriu a determinação judicial.

A empresa cumpriu apenas parcialmente a ordem judicial, diz o magistrado em sua decisão, limitando-se a fornecer as informações do administrador e não de todos os usuários do canal e do grupo (chat), com a justificativa de que isso seria impossível, uma vez que o grupo (chat) já havia sido excluído, o que não foi considerado justificativa razoável para o descumprimento da ordem judicial.

Dessa forma, entendeu o juiz na decisão que ficou “evidente o propósito do Telegram de não cooperar com a investigação em curso (relativa a fato em tese criminoso do mais elevado interesse social)”. Por esse motivo, a multa anteriormente estipulada foi aumentada para R$ 1 milhão “por cada dia de atraso no cumprimento fidedigno da decisão anteriormente proferida ou 5% (cinco por cento) do faturamento do grupo econômico no Brasil no exercício de 2022, o que for menor, sem prejuízo de uma ulterior majoração, caso persista o inadimplemento”, afirmou.

Quanto à “sanção de suspensão temporária das atividades do Telegram no Brasil”, esta “é medida que pode ser efetivada desde logo nestes autos, por meio da expedição dos ofícios às empresas referidas na parte final (…) da decisão do evento 9”.

O magistrado retirou o sigilo das peças abaixo, atendendo ao pedido da Polícia Federal:

Telegram – Evento 1

Telegram – Evento 9

Telegram – Evento 20

Telegram – Evento 25

Participantes do ES no curso para formação de conciliadores do TRF2 visitam o Cescon/JFES

publicado: 25/04/23 - 17:29 | última modificação: 08/05/23 - 16:56h

O Centro Judiciário de Solução de Conflitos e Cidadania (Cescon/ES) recebeu, na tarde de 18 de abril, a visita de nove participantes do Espírito Santo no Curso de Formação de Conciliadores 2023 oferecido pelo Tribunal Regional Federal da 2ª Região (TRF2).

No centro de conciliação, localizado no terceiro andar da sede da Justiça Federal, em Vitória, os alunos foram recebidos pela juíza federal Cristiane Conde Chmatalik, convocada para o Núcleo Permanente de Métodos Consensuais de Solução de Conflitos do Tribunal, que tem sede no Rio de Janeiro. Lá também conheceram os servidores Maristher Siqueira (supervisora) e Cláudio Siquara.

Capacitação

Aberto a participantes externos à Justiça Federal, o curso de formação de conciliadores teve início no dia 14, com uma aula síncrona, por videoconferência.

A capacitação é realizada por meio da Escola de Mediação da 2ª Região, com aulas presenciais e on-line.

Nessa primeira turma estão inscritos 47 alunos dos estados capixaba e fluminense.

A parte teórica do curso será finalizada no dia 29 de maio, cumprindo-se uma carga horária de 54 horas.

CJF libera o pagamento de RPVs a mais de 261 mil beneficiários*

publicado: 24/04/23 - 17:44 | última modificação: 02/05/23 - 14:53h

O Conselho da Justiça Federal (CJF) liberou aos Tribunais Regionais Federais (TRFs) os limites para pagamento de Requisições de Pequeno Valor (RPVs) autuadas em março de 2023, envolvendo um total de 213.999 processos, com 261.696 beneficiários. A soma atinge o valor de R$ 3.117.979.959,54. 

Do total geral, R$ 2.365.778.374,67 correspondem a matérias previdenciárias e assistenciais, a exemplo de revisões de aposentadorias, auxílios-doença, pensões e outros benefícios, somando 205.630 processos, com 257.904 beneficiários. 

O Conselho esclarece que cabe aos TRFs, segundo cronogramas próprios, o depósito dos recursos financeiros liberados. Com relação ao dia em que as contas serão efetivamente liberadas para saque, a informação pode ser obtida por meio da consulta de RPVs disponível no portal do Tribunal Regional Federal responsável. 

 

RPVs em cada Região da Justiça Federal 

TRF da 1ª Região (DF, MG, GO, TO, MT, BA, PI, MA, PA, AM, AC, RR, RO e AP)

Geral: R$ 1.225.520.120,82 

Previdenciárias/Assistenciais: R$ 945.532.207,50 (86.388 processos, com 100.876 beneficiários) 

 

TRF da 2ª Região (RJ e ES) 

Geral: R$ 251.883.055,26 

Previdenciárias/Assistenciais: R$ 194.028.422,79 (16.796 processos, com 21.796 beneficiários) 

 

TRF da 3ª Região (SP e MS) 

Geral: R$ 606.603.561,41 

Previdenciárias/Assistenciais: R$ 383.350.121,44 (22.104 processos, com 27.974 beneficiários) 

 

TRF da 4ª Região (RS, PR e SC) 

Geral: R$ 689.759.168,80 

Previdenciárias/Assistenciais: R$ 586.930.560,97 (58.724 processos, com 72.874 beneficiários) 

 

TRF da 5ª Região (PE, CE, AL, SE, RN e PB) 

Geral: R$ 344.214.053,25 

Previdenciárias/Assistenciais: R$ 255.937.061,97 (21.618 processos, com 34.384 beneficiários)

 

*Fonte: CJF

Ato altera presidência da 1ª Turma Recursal. Juíza federal Eloá Alves Ferreira é a nova juíza gestora no biênio 2023-2025

publicado: 18/04/23 - 19:18 | última modificação: 02/05/23 - 13:59h

O coordenador-regional dos Juizados Especiais Federais da 2ª Região, desembargador federal Flávio Oliveira Lucas, alterou a composição das Turmas Recursais dos Juizados Especiais Federais da Seção Judiciária do Espírito Santo no biênio 2023/2025.

O juiz federal Leonardo Marques Lessa será o presidente da 1ª Turma Recursal, composta ainda pelos juízes federais Pablo Coelho Charles Gomes e Kelly Cristina Oliveira Costa.  A 1ª Turma terá como suplente o juiz federal Alexandre Miguel.

Na 2ª Turma Recursal, o presidente seguirá sendo o juiz federal Francisco de Assis Basilio de Moraes.  A 2ª Turma ainda conta com as juízas federais Viviany de Paula Arruda e Eloá Alves Ferreira, em sua composição titular, e o juiz federal Roberto Gil Leal Faria, como suplente.

Gestoras

A juíza federal Eloá Alves Ferreira será a juíza gestora.  A juíza vice-gestora será a juíza federal Kelly Cristina Oliveira Costa.

Juíza federal Eloá Alves, nova gestora das turmas recursais capixabas

 

Nova gestão do TRF2 é empossada em sessão solene no CCJF*

publicado: 18/04/23 - 13:37 | última modificação: 02/05/23 - 14:07h
Whatsapp Image 2023 04 18 At 13.03.31

A solenidade foi realizada na sala de sessões do antigo STF, localizada no Centro Cultural Federal (CCJF), Rio de Janeiro/RJ

O Tribunal Regional Federal da 2ª Região (TRF2) deu início na sexta-feira, 14 de abril de 2023, à gestão que comandará os rumos da Corte no biênio 2023/2025. Na data tomaram posse seus novos presidente e vice-presidente, desembargadores federais Guilherme Calmon Nogueira da Gama e Aluisio Gonçalves de Castro Mendes, e a nova corregedora regional da Justiça Federal da 2ª Região, desembargadora federal Letícia de Santis Mendes de Faria Mello. O ato solene foi realizado na histórica Sala de Sessões do antigo STF, localizada no Centro Cultural Justiça Federal (CCJF), com a presença de diversas autoridades, incluindo ministros, desembargadores e juízes federais da 2ª Região, servidores, amigos e familiares dos empossandos.

Prestigiaram a cerimônia, dentre outras autoridades, os ministros do Supremo Tribunal Federal – STF Luís Roberto Barroso (vice-presidente, representando a presidente, ministra Rosa Weber) e Marco Aurélio Mendes de Faria Mello, os ministros do Superior Tribunal de Justiça – STJ Geraldo Og Nicéas Marques Fernandes (vice-presidente e corregedor-geral da Justiça Federal, representando a presidente, ministra Maria Thereza Rocha de Assis Moura), João Otávio de Noronha, Sebastião Alves dos Reis Júnior, Assusete Dumont Reis Magalhães e Joel Ilan Paciornik, o presidente do Tribunal de Justiça do Estado do Rio de Janeiro – TJRJ ministro Ricardo Rodrigues Cardozo, o procurador-chefe da Procuradoria Regional da República na 2ª Região – PRR2 Artur Gueiros (representando o procurador-geral da República Augusto Aras), desembargadores e juízes federais da 2ª Região, o cônsul da Inglaterra Laurence Burrows, além de representantes dos demais Tribunais Regionais Federais, dos Tribunais de Justiça dos Estados do Rio de Janeiro, Espírito Santo e Paraná, dos Tribunais Regionais Eleitorais do Rio de Janeiro e Espírito Santo, da Ordem dos Advogados do Brasil, do Ministério Público do Rio de Janeiro, da Associação dos Juízes Federais do Brasil – Ajufe e da Associação dos Juízes Federais do Rio de Janeiro e Espírito Santo – Ajuferjes.

A abertura da solenidade foi conduzida pela vice-decana do TRF2, desembargadora federal Vera Lúcia Lima, que saudou os empossandos e conduziu o desembargador Guilherme Calmon ao púlpito para prestar o compromisso legal. Em seguida, o já empossado magistrado, passou a conduzir a sessão e empossou o vice-presidente Aluisio Mendes, e a corregedora regional da Justiça Federal da 2ª Região, Letícia de Santis Mello. Na sequência, prestaram homenagens à nova gestão do TRF2 o desembargador federal Ricardo Perlingeiro (que discursou em nome dos desembargadores federais do TRF2), Luciano Bandeira Arantes (presidente da Ordem dos Advogados do Brasil – Seccional RJ) e Artur Gueiros (procurador-chefe da Procuradoria Regional da República na 2ª Região – PRR2).

A fala de encerramento coube ao novo presidente do TRF2, que a iniciou defendendo que “é preciso haver claro tratamento normativo de proibição ao preconceito e discriminação por meio de medidas no âmbito dos vários segmentos do direito, mas também é fundamental o emprego de instrumentos de inclusão social, como se verifica no âmbito das ações afirmativas que buscam dar impulso ao processo de equalização com a abrangência da igualdade substancial em favor dos vulneráveis, tais como as minorias étnicas e raciais, as mulheres, as crianças e adolescentes, as pessoas com deficiência, etc.”, afirmou.

Guilherme Calmon também discorreu sobre a atuação do Tribunal Regional Federal da 2ª Região, destacando as mudanças e transformações ocorridas desde sua instalação em 1989, tais como o processo de interiorização das varas federais no Rio de Janeiro e no Espírito Santo, a especialização de competências das varas federais, a criação dos juizados especiais federais e suas turmas recursais, a ampliação do próprio tribunal com posterior especialização de Turmas e Seções, e o início das atividades e desenvolvimento de solução consensual dos conflitos envolvendo a Fazenda Nacional, INSS, a União, Caixa Econômica Federal, entre outros entes integrantes da Administração Pública Federal.

Em seguida, o magistrado reforçou seu compromisso de sempre atuar proativamente para o aperfeiçoamento da Justiça Federal na 2ª Região, buscando seguir os exemplos exitosos das administrações que lhe antecederam. “Por mais que deseje, nunca encontrarei palavras apropriadas para demonstrar minha enorme honra e absoluto compromisso em assumir o cargo de presidente do Tribunal Regional Federal da 2ª Região”, destacou.

O presidente concluiu seu discurso com agradecimentos a sua família, aos servidores de seu gabinete, aos juízes federais diretores das Seções Judiciárias do Rio de Janeiro e do Espírito Santo, Eduardo André Brandão de Brito Fernandes e Rogerio Moreira Alves, e aos seus pares na Corte.

Assista aqui à íntegra da solenidade, que foi transmitida pelo canal do TRF2 na plataforma YouTube.

Elogio à Justiça Federal capixaba

No que toca à Seção Judiciária do Espírito Santo, o novo presidente do TRF2 declarou: “Quero enaltecer o brilhante trabalho desenvolvido na Seção Judiciária do Espírito Santo.  ‘Trabalha e Confia’ é a mensagem constante da bandeira do Estado capixaba extraída de um mandamento de Santo Inácio de Loyola que pode ser assim sintetizado: trabalha, como se tudo dependesse de ti, e confia, como se tudo dependesse de Deus. Os juízes e as juízas federais do Espírito Santo, bem os servidores e servidoras seguem fielmente esse mandamento, e assim deixo assentado meu reconhecimento pelo inestimável trabalho que realizam no exercício da jurisdição em terras capixabas.”

O desembargador federal destacou que “a atuação integrada entre o Tribunal da 2ª Região e as duas Seções Judiciárias a ele vinculadas, Rio de Janeiro e Espírito Santo, é fundamental”. “Por isso quero elogiar o trabalho desenvolvido pelos nossos diretores do Foro, nas pessoas do Dr. Osair Victor e Drª Paula Patrícia, Dr. Fernando Mattos, bem como confio na nova atuação dos novos diretores do Foro, Dr. Eduardo André Brandão, Dr. Rogerio Moreira Alves, Rio de Janeiro e Espírito Santo, respectivamente, para o biênio que ora se inicia, diante da capacidade intelectual e operacional de ambos como magistrados experientes e atentos diante da complexidade da realidade atual.”

*Fonte: TRF2 / com acréscimos da SJES

 

Whatsapp Image 2023 04 18 At 13.31.13

Novos dirigentes do TRF2, cônjuges, presidente do TRE/ES e diretor do foro da SJES

 

Whatsapp Image 2023 04 18 At 13.03.09

Ao centro, com sua esposa Patrícia, o novo presidente do TRF da 2ª Região, desembargador federal Guilherme Calmon Nogueira da Gama. À esquerda do casal, o juiz federal Alceu Mauricio Junior (Núcleo de Justiça 4.0 do ES). À direita, a juíza federal Maria Cláudia de Garcia Paula Allemand (5ª VF-Cível de Vitória).

 

 

Whatsapp Image 2023 04 18 At 13.02.10

A partir da esquerda: novo diretor do foro da SJES, juiz federal Rogerio Moreira Alves, a juíza federal da 6ª Vara Federal Cível de Vitória, Cristiane Conde Chmatalik, e o presidente do TRE/ES, desembargador José Paulo Calmon Nogueira da Gama

Whatsapp Image 2023 04 18 At 13.03.48

Escadaria principal do CCJF

Juiz federal Rogerio Moreira Alves assume a Direção do Foro da JFES para o biênio 2023-2025

publicado: 14/04/23 - 10:00 | última modificação: 02/05/23 - 14:01h
20230411 154929

O diretor do foro Rogerio Moreira Alves (ao centro), com os juízes que estarão ao seu lado no biênio 2023/2025: Américo Bedê Freire Junior e Ronald Krüger Rodor

Assumiu no dia 14 de abril a Direção do Foro da Justiça Federal do Espírito Santo (JFES) o juiz federal Rogerio Moreira Alves, titular do 3º Juizado Especial Federal de Vitória e membro, na classe dos juízes federais, do Tribunal Regional Eleitoral do Estado.

O magistrado foi designado em ato do Tribunal Regional Federal da 2ª Região para o biênio 2023-2025, juntamente com os juízes federais Américo Bedê Freire Junior (titular da 2ª Vara Federal Criminal), na vice-direção do foro, e Ronald Krüger Rodor (titular da 3ª Vara Federal de Execução Fiscal), como substituto eventual nas ausências concomitantes do diretor e do vice-diretor.

Solenidade simbólica

Em solenidade realizada no dia 11/4, na Sede da JFES, em Vitória, o juiz federal Fernando Cesar Baptista de Mattos, ainda diretor do foro, transmitiu o cargo, de maneira simbólica, para Rogerio Moreira Alves.

Participaram da solenidade juízas e juízes federais, servidoras e servidores da área administrativa.  Também presente o desembargador federal aposentado Antonio Cruz Netto, que iniciou sua carreira na magistratura como juiz da SJES.

Fernando Mattos despediu-se da Direção, após biênio iniciado em abril/2021, agradecendo o apoio fundamental do TRF da 2ª Região, desde sua indicação para o cargo, feita pelo então desembargador federal Messod Azulay Neto, que ocupava a Presidência do órgão, hoje ministro do Superior Tribunal de Justiça (STJ), aos servidores da área administrativa, na pessoa da diretora da Secretaria Geral em sua gestão, Cristiene Ginaid de Souza Cupertino de Castro, e dos servidores da 4ª Vara Federal, onde ocupa a titularidade, por meio do diretor de secretaria, Wladimir Barbosa Ayres.

20230411 151235

O juiz federal Fernando Cesar Baptista de Mattos (no púlpito) transmitiu simbolicamente o cargo de diretor do foro ao sucessor e falou das principais ações da Dirfo no biênio que se finda

Retrospectiva

O magistrado citou ainda algumas de suas realizações no período, como o retorno das atividades do Centro Cultural Justiça Federal e do Centro de Memória à JFES; a instalação do Núcleo de Justiça 4.0 – Previdenciário, cujo titular é o juiz federal Alceu Maurício Junior; a conclusão do projeto piloto para migração integral dos processos do sistema Apolo já arquivados para o sistema e-Proc, concluída graças a uma ferramenta desenvolvida pela JFES, e a economia que essa migração proporcionou, “porque nós pudemos nos desfazer de uma licença que nós tínhamos com uma empresa de informática, que gerava esse custo”; a melhoria na estrutura das funções administrativas, com a consequente valorização dos servidores que atuam na área, dentre outras.

Agradecimentos e sucesso

Ao final, Fernando Mattos agradeceu “especialmente a todos os senhores por todos esses meus mais dois anos na Direção” e desejou “muito sucesso ao Dr. Rogerio, ao Dr. Américo e ao Dr. Ronald.  Dr. Rogerio foi servidor aqui da Justiça Federal, é uma pessoa que conhece intensamente a Administração, já participou aqui várias vezes, ou como vice-diretor do foro ou como juiz coordenador da Central de Mandados, então eu desejo, ao colega Rogerio todo o sucesso.  Tenho certeza de que todos darão uma contribuição muito grande”, finalizou.

Apresentação

Rogerio Moreira Alves iniciou sua fala cumprimentando o desembargador federal aposentado Antonio Cruz Netto e os magistrados presentes – Alexandre Miguel, Maria Claudia de Garcia Paula Allemand, Enara de Oliveira Olímpio Ramos Pinto, Francisco de Assis Basilio de Moraes, Aylton Bonomo Junior e Alceu Maurício Junior – , a servidora Adriana Queiroz, que já atuou com ele algumas vezes, e os servidores Sergio Batista Pimentel (diretor de secretaria) e Tiago Fraga, do 3º Juizado.

Em seguida, lembrou de fatos marcantes de sua trajetória na JFES, onde entrou como servidor aos 19 anos.  Foi praticamente um ‘servidor-estagiário’, como chamou, pois, apesar de estar cursando Direito, não havia iniciado as matérias de Processo Civil. “Há quase 29 anos, um outro diretor do foro, Dr. José Ferreira Neves Neto [hoje desembargador federal do TRF2], me deu posse no cargo de Atendente Judiciário, aqui na Justiça Federal”, lembrou.

“Fui lotado na 1ª Vara. Era então meu terceiro cargo público”.  Em pouco tempo, assumiu a assessoria do juiz federal substituto e ali, minutando decisões, sentenças, secretariando audiências, aprendeu a “tomar gosto” pelas atribuições. Mesmo assim, não era seu “projeto de vida ingressar na magistratura”.

Abdicou do cargo de ‘fiscal do INSS’, concurso em que obteve o primeiro lugar, e assumiu a direção de secretaria da 3ª Vara Federal Cível, em 1998, saindo em 2001, para tomar posse como juiz federal substituto do TRF2.

Em 2006, já juiz titular, foi removido para o 3º Juizado Especial de Vitória, que ainda funcionava na Casa do Cidadão. Entre 2007 e 2012, cumulativamente exerceu função na Turma Recursal. Entre 2011 e 2013, atuou na Turma Nacional de Uniformização.  E, nos últimos dois anos, atua na representação da classe dos juízes federais perante o Tribunal Regional Eleitoral do Espírito Santo.

Whatsapp Image 2023 04 11 At 16.55.29

O novo diretor do foro, juiz federal Rogerio Moreira Alves, fez uma retrospectiva de seus 29 anos na Justiça Federal, onde começou como atendente judiciário

Novo capítulo

Após quase 30 anos de serviço público, “agora se abre esse novo capítulo, esse novo desafio, de Direção do Foro, função para a qual nenhum juiz é preparado”.

“Para exercer essa função eu conto com a colaboração de todos, porque essa é uma obra coletiva. A Direção do Foro tem o seu sucesso atrelado, é um sucesso que depende de todos e que beneficia a todos”, disse, firmando o compromisso de que a função “seja exercida de forma compartilhada os colegas Américo Bedê e Ronald Krüger, respectivamente vice-diretor do foro e juiz substituto eventual”.

Para esse novo desafio, indicou, para exercer a direção da Secretaria Geral o servidor Roger Croce Pinheiro, com quem compartilha “ideias associadas a modelos de gestão”, não sem antes louvar a experiência e a competência da então diretora, Cristiene Ginaid, que assumirá, a seu convite, a área de orçamento e finanças.

O magistrado concluiu sua fala lembrando de sua atuação como juiz supervisor da Central de Mandados, há 16 anos, e da importância do trabalho dos oficiais de justiça.  “Eles são a cara da Justiça Federal nas ruas.  Não é um trabalho fácil”, afirmou, apresentando, em seguida, o juiz federal Rodrigo Reiff Botelho (titular da 2ª Vara Federal de Execução Fiscal), que assumirá “esse importante trabalho”.

20230411 154416

Roger Croce Pinheiro (atual diretor da SG), Rogerio Moreira Alves (Dirfo), seu oficial de gabinete no 3º JEF Tiago Fraga Nogueira e diretor de secretaria Sérgio Batista Pimentel

20230411 154208

Magistrados e magistradas: Francisco Basilio, Rogerio Alves, Ronald Krüger, Fernando Mattos, Enara Olímpio, Américo Bedê, des. fed. Cruz Netto, Alexandre Miguel, Maria Cláudia Allemand, Rodrigo Reiff, Alceu Mauricio Junior e Aylton Bonomo

Gerada em: 21/06/2024 20:49:09
X